DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

 

As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), também denominadas doenças venéreas, são algumas das doenças mais comuns que se podem pegar de outra pessoa pelo contato sexual. Com mais de 20 DSTs existentes, elas atingem mais de 13 milhões de homens e mulheres nos Estados Unidos. Felizmente a maioria tem tratamento. Como você pode saber se você pode ter uma? Qual é o melhor tratamento? A informação a seguir tem por objetivo auxiliar a responder essas perguntas.

 

Quais são as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs)?

 

As DSTs normalmente são transmitidas através do contato sexual. Elas podem ser relativamente inofensivas ou podem ser dolorosas, irritantes, debilitantes ou até mesmo mortais.

 

O que causa as DSTs?

 

As DSTs são causadas por micróbios: bactérias e virus.

 

Como as DSTs se espalham?

 

A maioria das DSTs se espalha pela troca de fluidos corporais durante a atividade sexual. A atividade sexual pode ser definida como sexo vaginal, oral ou anal. Há, todavia, DSTs que podem ser transmitidas pelo contato com sangue contaminado. Algumas DSTs podem, por exemplo, ser transmitidas entre pessoas que dividam agulhas infectadas, já outras doenças podem ser transmitidas de uma mãe para seu filho durante a gravidez, parto ou amamentação.

As DSTs não são transmitidas pelo contato social (aperto de mãos, por exemplo) ou objetos como roupas e assentos de vasos sanitários.

 

Quais são os sintomas das DSTs?

 

Frequentemente não há sintomas. Entretanto, há alguns sintomas que podem ser indicativos de uma DST:

 

  •          Um corrimento ou odor vaginal incomum.

  •          Dor pélvica – a pelve é a região entre o umbigo e os órgãos genitais

  •          Dor na virilha (a região ao redor dos órgãos genitais)

  •          Coceira ou queimação nos órgãos genitais

  •          Sangramento vaginal fora do período normal de menstruação

  •          Dor na vagina durante a relação sexual

  •          Descarga uretral (secreção saindo pelo pênis)

  •          Bolhas, feridas ou caroços próximos aos órgãos genitais, ânus ou boca.

  •          Queimação ou dor ao urinar ou defecar.

  •          Micção (o ato de urinar) frequente.

 

Quem está sob risco de contrair uma DST?

 

DSTs podem afetar homens ou mulheres de todos os níveis socioeconômicos. Algumas pesquisas sugerem, todavia, que as DSTs podem ser mais comuns entre adolescentes e adultos jovens uma vez que eles têm maior probabilidade de ter múltiplos parceiros sexuais. Indivíduos que compartilham seringas para injetar drogas na veia também estão sob risco.

 

Como é feito o diagnóstico das DSTs?

 

A maioria das DSTs pode ser diagnosticada pelo exame físico feito por um medico, pelo exame das secreções da vagina ou pênis ou por um exame de sangue.

 

Quais são as DSTs mais comuns e qual seu tratamento?

 

Clamídia: essa é a DST causada por uma bactéria mais comum. Estimam-se em 4 a 8 milhões de novos casos a cada ano. Ela pode ser transmitida por sexo vaginal e anal. Às vezes ela passa despercebida já que frequentemente não produz sintomas importantes. Se os sintomas estiverem presentes em homens, eles podem incluir dor ao urinar e descarga uretral (a saída de secreção pelo pênis). Os Sintomas nas mulheres podem incluir sangramento fora da época da menstruação, dor ao urinar, corrimento vaginal e dor moderada no abdome inferior. Uma vez diagnosticada, o tratamento se faz com antibióticos.

 

Gonorreia: Cerca de 400.000 novos casos são detectados anualmente nos Estados Unidos. É transmitida pelo sexo vaginal, anal e oral. Semelhantemente à Clamídia, essa DST pode estar presente sem causar sintomas. Os sintomas, quando presentes, incluem descarga uretral ou corrimento vaginal e dor ao urinar. A gonorreia é tratada com antibióticos.

 

Sífilis: Essa é uma DST bacteriana potencialmente letal, que pode ser transmitida pelo sexo vaginal, oral ou anal. Ela também pode, contudo, ser transmitida pelo contato não sexual caso as lesões causadas pela sífilis entrarem em contato com algum ferimento cutâneo de um indivíduo não infectado. Geralmente o primeiro sintoma é uma úlcera indolor que frequentemente surge próximo ao pênis ou à vagina, mas também pode aparecer próximo à boca, ânus ou mãos. Até agora a penicilina ainda é o tratamento mais eficaz. Se a sífilis não for tratada, pode haver progressão para estágios mais avançados resultando em quadros clínicos semelhantes a um acidente vascular encefálico (derrame) ou a uma meningite.

 

Herpes Genital: Essa DST é causada por uma infecção pelo vírus Herpes Simplex Tipo 2 (HSV-2) e é transmitida pelo contato direto da pele com o local infectado durante o sexo vaginal, anal ou oral. Outra variedade do vírus, o Herpes Simplex Tipo 1 (HSV-1) é mais comumente transmitido pelo contato não sexual e geralmente causa lesões nos lábios, mas também pode ser transmitido pelo sexo oral. Não há cura para o HSV, mas os sintomas podem ser tratados com drogas antivirais.

 

Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS): A AIDS é o resultado da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) e é uma DST incurável e letal. Ela ataca o sistema imunológico do corpo humano e é mais comumente transmitida pelo sexo vaginal, anal e oral. Também pode ser transmitida pelo sangue, ao se compartilhar agulhas, ou por uma mãe infectada durante a gravidez, parto ou amamentação. Logo após a infecção, algumas pessoas não apresentam sintomas, enquanto outras têm um quadro semelhante a uma gripe. Esses sintomas geralmente somem dentro de 1 a 4 semanas e o vírus pode permanecer inativo por anos. Não há cura, mas drogas antirretrovirais podem ser utilizadas para prolongar a vida de um indivíduo infectado.

 

Hepatite B: Essa DST viral é uma doença grave que ataca o fígado. Pode ser transmitida pelo sexo vaginal, anal e oral. Também pode ser transmitida pelo sangue ao se compartilhar agulhas ou por outros instrumentos infectados que penetrem a pele. Estima-se que há 120.000 novos casos por ano nos Estados Unidos. Cerca de um terço das pessoas com hepatite B não apresentam sintomas. Quando os sintomas estão presentes, eles incluem febre, dor de cabeça, dores musculares, fadiga, perda de apetite, vômitos e diarreia. Uma vez que o vírus da hepatite B ataca as células do fígado, ele pode levar à cirrose, ao câncer de fígado, à insuficiência hepática e, possivelmente, à morte. Os sintomas que indicam o envolvimento hepático incluem urina escura, dor abdominal e coloração amarela da pele ou dos olhos. Não há cura para a hepatite B, mas há a possibilidade de tratar a infecção crônica em alguns pacientes. Existe uma vacina que é a melhor proteção.

 

Verrugas genitais: Essas verrugas são causadas pelo papilomavírus humano (HPV) e são transmitidas pelo sexo vaginal, anal e oral. O resultado são verrugas indolores com aparência de couve-flor que podem surgir no pênis e dentro e ao redor da vagina e do ânus. Há cerca de 5,5 milhões de novos casos por ano nos Estados Unidos. Não há cura, mas podem-se tratar as verrugas com tratamento tópico ou pode-se removê-las com pequenas cirurgias. Recentemente se desenvolveu uma vacina que já está disponível no Brasil e que é indicada para adolescentes de ambos os sexos antes do início da vida sexual, de preferência.

 

Tricomoníase: Essa DST bacteriana comum afeta principalmente mulheres jovens e sexualmente ativas. Às vezes não há sintomas, mas geralmente há um corrimento de odor forte e cor amarelo-esverdeada, coceira vaginal, dor durante o ato sexual, dor abdominal e micção (o ato de urinar) frequente. Em homens pode haver descarga uretral, micção frequente e dor ao urinar. A tricomoníase pode ser tratada com antibióticos.

 

Perguntas Frequentes:

 

Como se podem prevenir as DSTs?

 

Os comportamentos a seguir podem ajudar a reduzir sua chance de adquirir uma DST:

 

  •         Evite o contato sexual com pessoas infectadas.

  •         Tenha um relacionamento sexual mutuamente monógamo com um parceiro não infectado

  •         Limite seu número de parceiros sexuais

  •         Use preservativos sempre e corretamente

  •         Se for injetar drogas em sua veia, use agulhas limpas.

 

As DSTs podem causar outros problemas de saúde?

 

Algumas DSTs podem se espalhar e atingir o útero e as tubas uterinas, causando doença inflamatória pélvica, que está associada à infertilidade e gravidez ectópica. Algumas DSTs também podem ser transmitidas da mãe para seu filho antes ou durante o parto e também pela amamentação. O papilomavírus humano (HPV) está associado ao câncer do colo uterino e de pênis.

 

E se eu estiver grávida?

 

Se você estiver grávida e apresentar sintomas de uma DST, você deve entrar em contato com seu médico imediatamente. DSTs durante a gravidez podem pôr a vida do bebê em risco se não forem tratadas rapidamente e corretamente.

 

Eu posso contrair uma DST pelo beijo na boca?

 

O beijo na boca é considerado de muito baixo risco para a transmissão de DSTs, em especial o HIV. Entretanto, o beijo na boca prolongado poderia danificar a boca ou os lábios e permitir a transmissão do HIV. Devido a esse risco, não se recomenda beijar um parceiro infectado na boca.

 

Eu devo fazer exames para verificar se eu sou portador de uma DST?

 

Se você tiver risco de ter contraído uma DST, se você apresentar algum sintoma ou se você está apenas preocupado, você deve procurar um médico. Recomenda-se realizar pelo menos exames para detectar HIV, hepatite B e sífilis.

Dr. Luis Guilherme

Av. Sete de Setembro 317 - sala 704 - Jardim Icarai - Niteroi - RJ

  • Facebook Basic Black

© 2015 by Dr. Luis Guilherme